Lula: O governo que separou o Brasil

“mau caráter” e “fascista”. Assim, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu a categoria mais importante desse país, os agricultores.

Em uma mistura de raiva, descontentamento e retaliação, o atual comandante do Brasil demonstrou que ainda tem os dois pés no passado, no modo de agir e tratar os desafetos políticos, mas aparentemente a pressão midiática e postural não parece fazer efeito como nos primeiros anos de mandato do político, lá em 2003.

O primeiro exemplo é o mercado financeiro, categoria cada vez mais massacrada por Lula em seus discursos não recua um centímetros na conduta de outrora, eles se mantêm firmes buscando uma saída para as questões econômicas mais urgentes do Brasil, não é ataques ou críticas que farão os juros baixar ou a economia melhorar.

Outro exemplo é a própria agricultura, anteriormente vinculada às queimadas na Amazônia, tanto pelos militantes de esquerda, presidente e mídia como Globo e Folha, os agricultores foram firmes na hora de escolher entre o ex-presidente Bolsonaro e o ministro da agricultura Carlos Fávaro (PSD-MT) para a Agrishow, eventos mais importante do setor no país, sem ligar muito para as investidas do atual presidente Lula que retirou o patrocínio do governo em retaliação.

Por fim, o governo do “amor” que prometeu aos quatro cantos que uniria o Brasil em um só, não está apenas dividindo o país como também colocando em cheque setores que produzem e mantêm o Brasil no eixo, uma clara Inabilidade que a muito tempo não vemos em um presidente a frente da nossa nação.

Lula não deveria apenas refletir antes de falar e levar em consideração os efeitos que suas falas terão em nossa sociedade.

Author: DoveCameron

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *