Globo aumenta ataques contra Google, Facebook e Telegram

Desde o início dos rumores de uma possível análise do congresso a PL da Censura, a globo iniciou uma série de reportagens fazendo ataques ou colocando em dúvidas a ética de algumas redes sociais e mecanismos de buscas. Aparentemente, as Bigs tech não podem se defender ou mostrar o seu ponto de vista acerca da nova lei que tramita no congresso, mas o governo bem como o STF tem na Globo o poder e a liberdade para disseminar a população o que pensa sobre a regulamentação das redes sociais.

Ontem (13/05), através do jornal nacional a Globo demonstrou um pouco mais do que podemos chamar de “jornalismo militante”, iniciou o programa com uma reportagem a respeito do perigo de golpes na internet. O Alvo? O Google. Suspeito, não? O título da chamada do jornal no decorrer da programação nada muito sutil: “Golpistas geram boletos falsos de seguro saúde. As páginas da quadrilha apareciam como primeira opções no Google” uma clara manifestação de investida com cunho político.

Ainda no decorrer do programa, seguindo a cartilha de fomentar a opinião do público, a Renata Vasconcellos e o William Bonner trouxeram uma reportagem a respeito do “Maio Laranja”, uma campanha nacional de combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes na internet, talvez esteja aqui a única matéria não tão sensacionalista de todo o jornal, pois trás, apesar do momento político, um assunto sério e que deveria ter realmente o apelo da população na busca pela conscientização de país e mães que assim como deixa claro a matéria deveria acompanhar os seus filhos e partir deles a regulamentação do que os seus filhos fazem na internet

Para finalizar, a globo retornou a pauta da PL quando apresentou que o ministro Alexandre de Moraes mandou a PGR investigar os diretores do Google e do Telegram mesmo que o intuito não fosse defender a liberdade de expressão de tais redes sociais, mas condecorar, de certa forma, o ministro mais partidário em toda a situação, o Alexandre de Moraes. Segundo a informação, a PF terá 60 dias para identificar e ouvir esses dirigentes – e periciar as mensagens usadas pelas empresas nas campanhas.

Diante disso, é importante que os telespectadores que ainda insistem em assistir a Globo adotem um senso crítico em respeito ao conteúdo trazido pela maior rede de informação desse país. O canal adotou nos últimos anos uma postura, como já dito anteriormente, de militante. Às reportagens hoje trazem poucas notícias reais e as que ainda se salvam são repletas de ideologias, eles fingem que não, mas está claro que cada vez mais principalmente quando evitam críticas ao novo governo Lula que o propósito é de proteção e não informar como é descrito no conceito de jornalismo.

Author: DoveCameron

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *